Qual o computador ideal para desenvolver? Usar 2 Monitores Melhora ou Piora a Produtividade Para Programadores?

Tempo de Leitura: 25 Minutos

Quando comecei a utilizar dois monitores, foi em uma época onde além de codificar, mantinha alguns servidores pois trabalhava também como DevOps, então meu setup básico incluía uma tela principal onde mantinha minha área de trabalho, e um segundo monitor onde deixava algumas tarefas de monitoramento dos servidores abertas, e suas respectivas consoles para caso necessitasse fazer algo, depois, acabei mudando de projeto e passei a desenvolver para a Web e deixava o monitor principal com a IDE e o secundário com o ambiente, com a evolução natural, me foquei mais na área de desenvolvimento backend e por questões de espaço durante a pandemia em 2020 parei de usar o monitor externo e não tenho nenhum arrependimento, pelo contrário, sinto que sou mais flexível e independente do que nunca na escolha do ambiente de trabalho. Porém, muitos desenvolvedores, acham que monitores externos aumentam a produtividade, e resolvi falar sobre esse assunto, mostrando minha experiência própria e o que cada um dos setups pode beneficiar ou atrapalhar, vamos lá.54 ideias de Quarto de Programador em 2021 | quarto gamer, decoração quarto gamer, design de sala de jogoJá vi e ouvi muitas conversas entre desenvolvedores não só do meu time, como de outros ambientes usando não um ou dois monitores, mas três monitores e conheço todas as vantagens disso, já tentei em algumas épocas utilizar os 2 monitores na bancada e um televisor de 42″ para o ambiente visual, mas retornei ao ambiente com 2 simplesmente porque mais monitores que isso não significa que mais trabalho pode ser feito simultaneamente, simplesmente usar mais de 1 monitor causa maior desgaste físico em ter que ficar trocando o foco visual acaba causando mais cansaço visual. Especialmente se você utiliza monitores diferentes ou usa-los para abrir mais código junto.

Um setup como o visto nessa imagem ao lado, só se justificaria se você fosse utilizar para produção de vídeo ou transmissão, para desenvolvimento, dificilmente você conseguiria ter foco simultâneo no ambiente como um todo, e perderia mais tempo percorrendo visualmente todas as telas para localizar o que precisa do que efetivamente necessitaria. Claro, cada um pode se sentir confortável de uma maneira diferente, mais a pergunta básica a ser respondida com sinceridade por você antes de ampliar seu ambiente de trabalho é: – Eu preciso de mais código na tela?

O principal motivo pelo qual os monitores externos prejudicam a produtividade é que eles expandem a quantidade de dados visíveis para os usuários. Parece uma vantagem para qualquer tipo de trabalho até que consideremos um fato bem conhecido de que o ser humano médio pode manter na memória rápida curta um máximo de 3 a 5 itens. Quanto menos dados tivermos em mente, mais focados estaremos e mais fácil será entrar no fluxo produtivo. Cada variável, condição, loop, objeto é uma instrução de retorno e também um item mental, mais código, principalmente de fluxos diferentes, só vai causar mais confusão mental, e diminuir sua produtividade.

34 ideias de Setup programador | projeto de home office, escritórios de casa modernos, quarto gamerUm ambiente como o mostrado nesta segunda imagem, pode ser melhor aproveitado por um desenvolvedor de software por exemplo de backend, um DevOps ou mesmo um FullStack (acredito que um full possa preferir os dois monitores na horizontal, a não ser que ele queira ver diferenças entre uma view nos dois formatos difrentes) onde o monitor principal, pode ser usado para a IDE de desenvolvimento e o externo para tarefas de monitoramento, ou preview.

Um método ou classe pode conter muitas declarações que precisam de foco mental e, de acordo com minha experiência, quanto menos código em exibição, menos distrações minha mente terá. Prova disso é que muitas IDEs hoje trazem modos menos poluídos como o MODO ZEN que consiste em retirar todos os botões e deixar somente o bloco de código na tela. Outro exemplo, muitos desenvolvedores ainda usam editores como NANO ou VIM (linux) ou NotePad++ e TextPad no Windows, ou Sublime que é muito usado no Mac para codar, simplesmente pela sua simplicidade.

Um designer ou programador FrontEnd pode se beneficiar também de um ambiente com um monitor externo, ou mesmo um televisor externo para visualizar como um determinado layout se porta em diferentes dispositivos ou mesmo usar monitores maiores como 32″, 42″ e até mais para ter uma visão detalhada, porém, seu foco continua no monitor principal, e em uma porção do todo.

Mais código na tela não ajuda a entendê-lo melhor, além do que métodos mais longos diminuem a legibilidade e contradizem os princípios do Clean Code, portanto, menos código na tela é melhor e mais espaço para o código não nos ajuda em nada. Se você que saber se precisa de um monitor maior ou mais um monitor, a pergunta a ser feita é: – Eu preciso de mais dados?

Eu concordo que é mais confortável ler os logs em um monitor grande e amplo, ou ter front-end e código em monitores separados. É confortável ter métricas visualizadas ou dados de desenvolvimento acessíveis e fáceis de ver em uma tela widescreen, mais isso tem um custo produtividade. A primeira desvantagem é a mudança de foco, isso desperdiça energia mental. Cada vez que você muda a atenção do código para logs / docs / web-page / gráficos o cérebro precisa de alguns segundos para trocar o foco (virar o disco como os mais antigos diriam).

Uma outra desvantagem e que pode parecer menor, mais na minha opinião é a mais preocupante de todas, a saúde física e mental, monitores e outros dispositivos que emitem luz, tendem a emitir luz azul e luz ultra-violeta que são nocivos a visão, causam desgaste macular e diversos problemas de visão, além da ergonomia, ficar movendo o pescoço pode ser desgastante para a coluna, e causar problemas crônicos de saúde.

Que computador eu preciso para começar como programador? - PingbackHoje em dia, muitos desenvolvedores estão migrando para ambientes Laptop pela sua facilidade e mobilidade e estes estão cada vez mais poderosos, aceitando bem os mais diversos ambientes de desenvolvimento, isso pode parecer uma ótima solução, porém, novamente não é, devido a sua forma de construção, e o design mais compacto das teclas, além de ficar a uma altura mais baixa fazendo-o precisar se inclinar para baixo, pode causar um segundo tipo de problema, a LER ou (LESÃO POR ESFORÇO REPETITIVO) que pode causar problemas nos punhos, coluna cervical e lombar, que muitas vezes requerem cirurgia para serem corrigidos.

A pergunta, para ser feita para saber a sua real necessidade é: – Como eu trabalho?

Cada perfil profissional possui necessidades específicas, tanto no quesito de capacidade e ambiente, como também nas questões de tipo de monitor, tipo de mouse e teclado, até mesmo seu porte físico e horário de trabalho podem influenciar nas melhores escolhas, minha opinião é que monitores de mais alta resolução como o Retina, ou os novos monitores 4K fazem realmente a diferença entre as telas, e usar um monitor de mais alta resolução como monitor principal faz uma enorme diferença principalmente no quesito de qualidade visual e no que na minha opinião é o mais importante no bem estar que isso me propicia.

Usar um monitor desses me dá a flexibilidade de mudar o local de trabalho, pois posso usar o monitor interno do laptop ou usar o externo quando estou em uma jornada mais longa de trabalho, além de poder utilizar um mouse touch (as mesas digitalizadoras) que melhoram a ergonomia e claro um teclado mecânico. Um setup desses pode ser tão flexível quanto aparenta, ao mesmo tempo em que permite um enorme conforto visual e ergonômico.

Acostumei com o tamanho do meu monitor e a disposição dele no dia a dia e tento aproveitar isso ao máximo. Resumindo, eu não uso um monitor externo e ainda me considero muito produtivo. Porém, em algumas situações sinto falta de um segundo display, principalmente para tarefas de monitoramento ou visualização de LOGs em geral.

Procure pela opção de segunda tela que tenha qualidade de imagem e bom gerenciamento de energia. Dessa forma, evitam-se consumos excessivos significativos que podem pesar na conta de luz. Isso faz sentido? Sim, acredito que nós humanos podemos se adaptar a qualquer tamanho de tela, desde que também possa ajudar com problemas de visão que precisam de fontes maiores ou de ergonomia específica. Outros motivos questionáveis que fazem muitos desenvolvedores escolherem ambientes com mais telas ​​são o de poder assistir a filmes, jogar, arte e design entre outros, mais especificamente para codar, não, não é necessário mais de uma tela para isso. O que nos leva ao segundo tópico abordado neste artigo.

5 Important Reasons Why You Get A Complete Desktop? | Mombasa Computers

Um setup básico e ideal para a grande maioria, que alia custo e benefício além de ser muito mais versátil e geralmente com maior capacidade é baseado em desktops, pode ser impossível transportar seu desktop para todo lado, mas ouça, ele oferece mais benefícios do que você pode imaginar!

Com um desktop, você pode atualizar as peças individualmente, ou seja, é mais barato do que comprar um novo laptop para atualizar só a sua placa de vídeo ou processador porque ele tem várias partes que podem ser substituídas individualmente, e até mesmo a placa mãe e processador podem ser expandidos, além, de que permitem devido a sua arquitetura uma maior quantidade de portas USB, para alimentar e ligar uma maior quantidade de dispositivos. Um exemplo é que é possível mudar um desktop de um Core-i5 para um Core-i7 ou até mesmo incluir novos discos rígidos.

Outro exemplo é se você deseja adicionar uma placa de vídeo para trabalhos de design ou jogos, você pode facilmente obter uma placa e ligar a um dos slots de expensão existentes. A maioria dos laptops, não oferece a capacidade de atualizar o chip gráfico, o que significa que eles não podem ser alterados e a única opção seria comprar um modelo diferente novo, o que inclui desde a placa-mãe até o disco rígido, ou simplesmente um novo laptop.

Processadores mais poderosos, os computadores desktop têm maior poder de processamento do que os laptops, mesmo quando possuem exatamente o mesmo “tipo” de processador e memória, simplesmente pelo fato de que hoje, a maioria dos fabricantes de CPUs possui versões específicas dos chips para notebooks que vão apresentar alguns ganhos como economia de energia e arquitetura de refrigeração, e para isso acabam por perder um pouco em performance. Os desktops funcionam com mais rapidez e fluidez porque vêm com processadores maiores e mais potentes, pois não há a limitação de consumo de bateria, nem de espaço para refrigeração.

Os benefícios são imensos, primeiro sendo que um desktop pode lidar facilmente com tarefas que consomem muita energia, como a criação de designs, tarefas pesadas de compilação e execução de debug e permitem que IDEs mais modernas tenham um grande poder para rodar com maior fluidez, indiferente da linguagem ou plataforma que você esta usando para desenvolver e isso também permite que você execute várias tarefas em diferentes aplicativos simultaneamente.

Seguro e fácil de reparar os desktops são fixos e, portanto, têm menos probabilidade de serem danificados em caso de queda ou mesmo de roubo, isso oferece segurança não apenas para a sua área de trabalho, mas também para todos os arquivos nela contidos, por isolamento físico. Caso eles sejam danificados ou precisem ser consertados, é mais fácil identificar a peça com defeito e, em seguida, consertá-la ou substituí-la, já que a maioria delas é inter compatível, ou seja, você não está limitado a um determinado fabricante ou modelo ou uma peça específica, pode até mesmo usar uma versão mais em conta ou inferior que ainda tenha em casa, até a peça final chegar, o que pode te livrar de perder um prazo devido a uma falha. Isso é especialmente benéfico se você estiver administrando um negócio, porque custará menos interrupções e gastará menos dinheiro com assistência técnica.

Um desktop oferecerá mais valor no longo prazo na maioria das vezes, tendem a ser mais baratos do que os laptops, embora ofereçam mais em termos de especificações internas do que seus laptops equivalentes. Mesmo quando eles são iguais no que diz respeito ao desempenho, o desktop é mais barato, principalmente porque não é portátil. Eles oferecem especificações melhores e mais completas e o mais importante, são personalizáveis em praticamente qualquer quesito.

Ergonomia e qualidade de trabalho, geralmente possuem as telas e teclado maiores, além de opções de mouser e dispositivos apontadores com melhor ergonomia os monitores widescreen que oferecem uma tela de alta definição facilitam o trabalho e melhoram a qualidade visual reduzindo o cansaço, ter um teclado e um mouse removíveis também permite que você troque de dispositivo o que torna o trabalho mais fácil ao realizar tarefas diferentes, com equipamentos específicos esta é a razão pela qual os desktops são melhores do que os laptops para a maioria dos gammers e desenvolvedores profissionais.

Concluindo, a escolha de comprar um laptop ou desktop depende de suas necessidades individuais, porém, um desktop oferece mais funcionalidade e espaço e permite que você se concentre ao realizar tarefas devido à sua estrutura. Notebooks permitem um uso portátil e você pode leva-los a todo lugar. O melhor de dois mundos é poder aliar as duas ferramentas, mais isso é assunto para outro artigo.

Qual a máquina ideal para programadores? Qual o melhor sistema?

Esta é outra pergunta sem uma resposta óbvia, e que vai depender muito de qual é o seu perfil profissional, ou mesmo o quanto você está disposto a desembolsar, é justamente essa, qual a configuração ideal de computador, o bom nessa resposta é que na média, você não precisa de nada muito fora do comum, primeiro, vamos falar da praticidade e dos benefícios de cada um dos componentes a serem considerados na escolha do hardware ideal, conforme suas configurações de software e ambiente usado para desenvolver.

Quem trabalha com programação sabe a importância de usar o setup certo para garantir o conforto e segurança necessários na hora de realizar as tarefas diárias e é preciso ter o cuidado na hora de escolher cada um dos equipamentos que pretende utilizar, fazer essas escolhas pode não ser uma tarefa fácil e adquirir o setup mais apropriado em meio às diversas opções disponíveis no mercado pode ser bem difícil especialmente para quem está começando.

A recomendação na hora de escolher cada componente é não se guiar apenas pelo preço, nem sempre as opções mais caras são as melhores, e nem sempre o barato sai caro, tudo depende do todo. Tenha em mente que todos esses equipamentos são as suas ferramentas de trabalho e não veja isso como um gasto e sim como um investimento nesse quesito quanto maior o investimento mais ele lhe trará retorno no futuro. Escolher equipamentos adequados além de trazerem maior durabilidade e eficiência vão ser melhor aproveitados e o retorno sobre o investimento será mais rápido e maior.

Na minha opinião, se a opção é para trabalhar seja de casa ou de um escritório, a opção mais adequada é um DESKTOP como já dito anteriormente pela sua robustez, se você precisa se locomover de um lado para outro, carregar projetos diferentes para diversos lugares, pense em um setup onde você tenha o notebook como recurso principal de processador, memória e vídeo, e os periféricos externos como monitor, teclado e mouse, ou mesmo um setup com duas máquinas, onde a sua principal de trabalho é o desktop mais poderoso e uma configuração inferior no notebook somente para as necessidades diárias onde seja primordial a mobilidade, desse modo, você tem aliadas as duas ferramentas. A escolha final vai depender do perfil de cada profissional, se o que mais conta para você é o conforto, possivelmente um computador será o mais ideal, se você preza pela mobilidade, um notebook pode te atender melhor.

PROCESSADOR – O cérebro do computador

Se você vai desenvolver software, nas principais linguagens do mercado, você não vai precisar de nenhuma configuração muito especial neste quesito, um processador nas linhas intermediárias como um CORE i5 ou i7 da intel, Ou os Rayzen 5 e 7 da AMD a linha intel acaba levando vantagem em perfis de trabalho com linguagens mais Enterprise como JAVA e .NET ou com processos que façam uso de maior intensidade de processamento. Já a linha AMD leva vantagem, em linguagens e ambientes como Android Studio (mesmo rodando sobre um motor JAVA, o Android e o desenvolvimento Mobile faz muito uso de simulações gráficas), PHP, Ptython e outras linguagens de Script, e também para trabalhos em Front End. Você só precisa de processadores mais pesados como os Rayzen 9 e Intel i9 se utilizar ferramentas que façam muitas simulações matemáticas e estatísticas e uso intenso de cálculos e processamento de grandes massas de dados matemáticos. Em suma os chips da AMD geralmente oferecem mais núcleos e mais threads, enquanto os chips da Intel têm velocidades de clock mais altas.

MEMORIA RAM – A capacidade principal para executar as tarefas

A Memória RAM é sem dúvida um dos pontos mais importantes em uma configuração, seja ela para trabalhos gráficos e front-end como para tarefas de programação e processamento intenso, e neste ponto, quanto mais melhor, investir em uma configuração com 8Gb ou mesmo 16Gb é o ideal, porém, existem no mercado diversos tipos de memória, em questões de velocidade e escolher placas que suportem as velocidades mais altas é o mais indicado.

Quando falamos em quantidade de memória, o desempenho de um computador de trabalho pode estar diretamente ligado a quantidade deste componente, sendo que um computador com um processador superior e pouca memória pode ser inferior a um setup onde o processador seja levemente menor e uma maior quantidade de memória esteja disponível para uso pelo sistema.

As linguagens em sí, não interferem muito em requisitos de memória para sua utilização, o que conta aqui basicamente são as configurações da IDE e os requisitos de memória do que está sendo desenvolvido. Porém, hoje em dia muitos processos baseados em JavaScript (Node, Angular, React, Electron e muitas outras) e dezenas de linguagens baseadas em VM rodam um processo principal que executa a VM (JAVA, .NET, e uma centena de outras) esse processo geralmente é um ambiente hospedeiro e consome muitos recursos do computador, portanto, uma grande quantidade de memória é utilizada pela própria VM e uma outra quantidade pode ser necessária para a execução da IDE de programação que é o ambiente onde você vai utilizar para desenvolver seu aplicativo.

Linguagens de script neste ponto, acabam sendo as que requerem menos recursos de memória, e a sua utilização pode ser um pouco menor, porém, é crescente o número de aplicativos destinado a usos por profissionais de TI escritos em JAVA e JavaScript, hoje, o VS Code e o Visual Studio ambos da Microsoft são escritos em tecnologias baseadas em Electron que rodam dentro de um Browser (navegador) para utilizarem os recursos do V8 Engine do JavaScript. Já outra IDE amplamente utilizada é o Eclipse totalmente escrito em JAVA que suporta uma grande quantidade de linguagens e para executar a VM do java acaba consumindo muitos recursos da memória do computador, além de que, as próprias linguagens usadas nele também podem rodar instâncias da mesma VM do JAVA ou de outras, e acabam sendo bem pesadas em termos de consumo de memória.

As IDEs da Jet Brains como PHPStorm, APPCode, CLion, Intellij IDEA, PyCharm, Rider, RubyMine, WebStorm e outras, também são escritas em Electron e Java e são bem pesadas em requisitos de hardware como processador e memória. O Android Studio da google, é sem dúvida um dos ambientes de desenvolvimento mais pesados em questões de requisitos, requerendo não só processamento pesado, como grande capacidade de memória, baseado no Intellij IDEA, mesmo rodando sobre ambientes linux, a execução da VM que roda o próprio android é extremamente pesada, e faz uso intenso de CPU, memória e disco.

A Brackets uma IDE da Adobe, que é voltada ao desenvolvimento Front End Para Web, é uma das mais economicas em requisitos de quantidade de memória, porém, justamente seus irmãos mais velhos da Adobe, para processamento gráfico acabam compensando nos requisitos de capacidade computacional e memória ram.

Se você optou pelo uso de notebooks, ou investiu em equipamentos com menor quantidade de memória, ao invés de optar pelo uso de uma IDE para o desenvolvimento de software, você pode utilizar os CODE EDITORS que são basicamente editores de texto, com alguns recursos específicos para os desenvolvedores de código, como marcação de sintaxe, recursos de autocompletar ao digitar, lembrando e otimizando o programador de ter que digitar nomes de funções, classes e métodos e seus argumentos. Geralmente esses ambientes são muito mais leves que uma IDE completa e atendem bem sem no entanto consumirem maiores quantidades de memória e processador.

Alguns dos CODE EDITOR mais amplamente usados por programadores são o VS CODE, SUBLIME e ATOM que estão disponíveis em todas as plataformas. Já opções como NOTEPAD ++,  e TEXTPAD específicas para Windows, e VIM, Geany, Emacs, BlueFish, Gedit, Nano, LeafPad, XED, QED entre outros disponíveis para plataformas baseadas em POSIX como Linux e MacOS.

HD – A Capacidade de Armazenamento

Este é um dos fatores mais limitantes de velocidade de um computador seja ele desktop ou notebook, a escolha do modelo ideal e de um bom balanceamento entre a capacidade e a velocidade é imprescindível para obter os melhores resultados do ambiente de trabalho. Atualmente o investimento em discos rígidos de alto desempenho são as melhores opções, se você optou por uso de desktops, escolher um modelo em torno de 240Gb para o sistema operacional em formatos NVMe de alta velocidade e também para os projetos mais usados vai lhe trazer um enorme ganho de performance, um segundo HD SSD comum para o armazenamento de massa de dados, imagens e acesso auxiliares também é bem vindo.

Já para notebooks que suportam somente uma unidade, escolher uma unidade SSD ou NVMe de médio desempenho (as de alto desempenho acabam consumindo maior quantidade de energia e drenando a bateria) é a melhor opção, já que ela terá que suportar não só os arquivos do Sistema Operacional e as ferramentas de trabalho (bancos de dados, ferramentas de acesso a dados, IDEs, a própria linguagem de programação, o ecossistema de programação) e também os arquivos específicos do projeto que você esteja desenvolvendo.

Em ambos os casos, a escolha de unidades de mais alto desempenho são melhores, porém, também são investimentos mais altos. O que você deve ficar atento ao escolher um modelo, neste caso, é a taxa de transferência de leitura e de gravação os modelos NVMe podem variar entre 1700MB/s, 3500MB/s, 7000MB/s e até maiores em algumas situações, porém o preço de uma em relação a outra pode dobrar, ou seja, um modelo de 1700MB/s custa um valor de X, um de 3500MB/s em média custa XX, e um de 7000MB custa XXXX.

Se o seu investimento permitir, uma unidade externa, tanto para notebook quanto para desktop, é de extrema valia, principalmente para armazenamento de projetos antigos e finalizados, e outros arquivos para serem mantidos em cópia de segurança, neste ponto, além de muito mais rápido que o armazenamento em nuvem permitem o acesso aos dados em todo e qualquer momento e situação.

MONITOR – O principal dispositivo

Na minha opinião, indiferente de você optar por utilizar 1, 2 ou até mais monitores, o importante aqui é escolher um modelo que lhe traga conforto visual e ergonomia, um programador fica horas em frente ao monitor digitando códigos, revisando possíveis falhas, dentre outras atividades. Por isso, a escolha do equipamento certo é muito importante, para evitar futuros problemas na visão. Uma das melhores opções no mercado são os modelos Full HD ou 2K e 4K, opções inferiores ao FullHD são ruins pois não oferecem resoluções de trabalho mais altas e acabam cansando a visão, já opções como o 4K ou maiores são meramente opções para um maior tamanho de tela, monitores de até 32″ não se beneficiam de resoluções maiores que a 2K já que a nossa visão não possui resolução maior, escolha de modelos ente FullHD e 2K que oferecem um ótimo custo-benefício.

Com uma boa resolução e design moderno, o monitor oferece conforto visual, cores vivas e nítidas e bom contrate. A atenção deve ser o fato da resolução nativa ou seja, mesmo um monitor que aceite resoluções mais altas como 4K pode não efetivamente mostrar as imagens nessa resolução, fique bem atento a esse detalhe, pois geralmente algumas marcas possuem modelos mais baratos porém que somente emulam as altas resoluções presentes em equipamentos de qualidade.

O monitor conta, ainda, com uma película antirreflexo, que ajudam a garantir uma boa experiência de uso, mesmo em ambientes mais claros. Além disso, o equipamento possui tecnologias que visam à diminuição de riscos de fadiga ocular. Neste caso, a escolha do modelo adequado é muito importante, pois o bem estar depois de horas em uma jornada de trabalho mais intensa pode ser um grande diferencial.

Quanto ao tamanho ideal do monitor principal, prefira telas 14 até 23 polegadas se seu orçamento for mais apertado elas são perfeitas para as tarefas do dia-a-dia, com soluções de alta mobilidade e fácil transporte, porém, ficam devendo um pouco em usabilidade e legibilidade principalmente em resoluções mais altas. Os modelos de 24 polegadas hoje são o tamanho padrão da indústria comercial, e oferecem recursos de multimídia para uso pessoal e profissional, sendo os mais indicados para uso em boas relações de custo e benefício. Equipamentos de 25 a 29 polegadas fornecem uma área de visualização maior para conteúdo com muitos gráficos e detalhes e são os mais indicados tanto para desenvolvedores front-end quanto para profissionais que lidam com imagens e vídeos. Já os modelos de 30 a 39 polegadas e até maiores, são mais indicados para uso em telas auxiliares ou específicos para produções de vídeo e imagens ou trabalhos na área gráfica. Maiores que 39 polegadas, são mais indicados somete para preview de conteúdo destinado a televisores e anúncios, ou para tarefas de monitoramento onde grandes quantidades de indicadores podem ficar visíveis e telas menores prejudicariam a leitura.

Um detalhe muito importante, é a TAXA DE ATUALIZAÇÃO, quem fica na frente da tela por longos períodos deve preferir monitores com taxas mais altas, desse modo a atualização da tela é mais suave e causa menos desconforto.

Um detalhe importante, a ser verificado neste ponto, você não deve escolher o monitor somente pela sua função eletrônica, mais também pela sua função ergonômica, o uso de um modelo de suporte adequado é essencial para o conforto, a posição ideal da cabeça é com os olhos na linha superior do equipamento, e de modo que somente com o movimento dos olhos, você possa percorrer toda a área do seu monitor principal. Monitores auxiliares não devem necessitar de foco e atenção por mais de 30 a 35% do tempo total de uso. Usar suportes articulados, e com regulagem de altura são muito importantes para profissionais que precisem utilizar o computador por mais tempo.

Placa Gráfica ou Placa de Vídeo

Para um desenvolvedor, este é um componente que não altera muito a qualidade do pacote, fazendo diferença somente se você trabalha com desenvolvimento de jogos e aplicações gráficas, para a maioria dos desenvolvedores os CHIPSETS INTERNOS tanto da intel, como da AMD dão conta do recado e atendem as necessidades. Já se você trabalha com desenvolvimento de aplicações gráficas e vídeo, encontrar um modelo adequado pode ser muito difícil fique atendo aos requisitos do seu trabalho nesse ponto.

Um outro perfil que vem fazendo uso de processadores gráficos são desenvolvedores que usam muitos cálculos em ponto flutuante que beneficiam do poder de processamento dos chips gráficos desafogando a CPU dos cálculos complexos e gerando um enorme ganho de produtividade.

Mouse e outros dispositivos apontadores

Um dos vilões da ergonomia é o MOUSE, hoje, muitas interfaces e também IDEs e CODE EDITORS podem ser operados quase que totalmente pelo teclado, porém, quem trabalha com design ainda precisa do dispositivo, nestes casos a opção por dispositivos ergonômicos e os mais atuais onde a mão fica em pé, apoiada sobre os dedos mínimos causam menor desconforto. Um programador também está suscetível a sofrer lesões por esforço repetitivo nas mãos, braços e pulsos. As lesões podem acontecer por conta do uso de mouses não ergonômicos, por exemplo. Isso porque eles exigem menos intensidade e até menos movimentos, evitando lesões.

Já para quem faz uso intenso de apontadores, uma mesa digital operada com caneta é uma ótima opção. Em ambas as opções a escolha por equipamentos de resoluções maiores praticamente não custam valores muito mais altos, e não causam impacto direto no investimento, porém, trazem grande conforto na hora de utilizar o computador. Mesmo quem utiliza notebook deveria ter um dispositivo externo com ou sem fio, para seu maior conforto.

Teclado – O seu principal investimento

Os teclados mecânicos, muito populares entre os gamers, também são ótimas opções para programadores. As principais vantagens desses modelos está na capacidade de entregar uma resposta rápida aos comandos e alta durabilidade, além de terem modelos que não possuem a famosa “TECLA GHOST” ou clique fantasma, que nada mais é do que um segundo toque ou uma repetição, causando uma entrada dupla.

Aqui as opções são muitas, e a escolha deve ser quase pessoal, um bom teclado, feito com materiais sólidos e resistentes, e com conexões confiáveis e respostas adequada, são imprescindíveis, existem no mercado vários tipos de Switchs e a escolha deve ser mais cuidadosa, outro ponto de atenção é o layout aqui no Brasil é comum utilizar teclado com o padrão de teclas ABNT2 que possuem o “Ç” e alguns caracteres específicos de acentuação para o portugues, já entre os gammers e programadores muitos optam pelo layout internacional fique atento, se você já tem o costume e a proeficiência de trabalho com um modelo, a troca pode ser dolorosa, requerendo uma readequação já que muitos caracteres mudam de posição.

Outros Acessórios Eletrônicos Que Merecem Atenção

Muitos programadores passam horas e longas jornadas de trabalho, e uma grande maioria gosta de escutar música enquanto trabalha, se você é como eu e gosta de música para te isolar do mundo enquanto projeta algo que está desenvolvendo, os FONES DE OUVIDO são um investimento muito importante, escolha modelos que sejam confortáveis e adequados ao tamanho da cabeça e formato de orelhas, os modelos IN EAR devem ser evitados, pois a médio e longo prazo tendem a causar uma doença crônica chamada TINNITUS, os modelos de abafador, podem ser encontrados em diversos formatos e nos mais variados estilos a escolha de um modelo adequado é muito importante para a sua saúde.

Cooler e Fonte, se você optou por modelos tipo desktop, esses dois componentes também fazem diferença e requerem atenção, cada modelo de CPU e PLACAS DE VÍDEO podem necessitar de mais ou menos energia, e refrigeração, e a dimensão correta desses dispositivos pode fazer uma enorme diferença. Até mesmo em ganho de performance.

Além da Eletronica Existe o Ambiente de Trabalho

Conserto Consultoria | Você sabe qual a postura certa para sentar? Confira as 6 dicas para manter a boa postura!Já ví muitos profissionais se gabarem de terem investido alguns milhares de dólares em um Notebook ou Desktop de ultima geração, e se esquecem de investir também no seu ambiente de trabalho, a escolha de uma boa MESA ou ESTAÇÃO DE TRABALHO é um dos itens fundamentais, hoje com a crescente demanda dos home oficies  muitos profissionais estão passando por problemas de saúde devido a falta de postura ao utilizar o computador. De nada adianta investir em um equipamento top de linha, se o seu conforto físico está inapropriado.

A escolha de uma mesa adequada, com suporte para os pés altura correta ou ajuste de altura para o punho, na utilização de teclado, mouse e monitores devem seguir regras, o teclado e mouse devem estar em uma altura onde com a coluna reta, seus braços estejam também em um angulo de 90º, ao lado temos uma imagem com os principais problemas posturais e as lesões que eles podem causar.

Outro ponto importante, é o uso de cadeiras adequadas ao seu peso e altura, que permitam os ajustes necessários de altura, inclinação, apoio para as costas, pés, mãos e braços.

O uso de Equipamentos de proteção individual, também devem ser atentados, alguns itens necessários principalmente para quem usa o computador são os apoios ergonômicos para teclado e mouse (mousepad) suportes para monitores, apoios para pés. Já as EPIs obrigatórias são a ORTESE PARA PUNHOS que são também conhecidas como talas de apois para punho, talas para digitador e geralmente são fabricadas em neopreme ou algum outro material elástico e velcro, e um dispositivo em fibra de carbono ou plástico duro que serve como apoio. E também os óculos de proteção, se você utiliza lentes de grau, pode adquirir no mercado óculos de proteção e filtros próprios para telas de computadores, geralmente eles possuem a cor laranja ou amarela, e alguns quase totalmente transparentes, estes últimos polarizam a luz azul e a luz uv e evitam o cansaço visual, e devem ser 2 itens importantes no seu dia a dia.Imagem 1 de 6 de Kit 3 Clip On Polarizado Uv400 P/ Óculos De Grau - 3 Cores

Tala de Tecido para Punho (curta) direita (Dortler) Ao lado, vemos um modelo de uma ORTESE PARA PUNHO existem modelos de se encaixam em ambas as mãos e modelos que são específicos para a direita/esquerda o importante é a escolha de um modelo que suporte os 2 lados se você utiliza as duas mãos no computador. Do outro lado, modelo de óculos de proteção UV estilo CLIP ON para quem já utiliza óculos de grau, a escolha do modelo e tipo de filtro adequado é imprescindível para um bom resultado e para preservar a visão dos nocivos raios UV emitidos pelas telas de computador e outros dispositivos retroiluminados. Atenção também mesmo quem não utiliza óculos no dia a dia, deve utilizar os equipamentos de proteção para a visão evitando lesões futuras.

Estudos mostram que a LUZ AZUL, ROXA e UV das telas pode causar disturbios de ansiedade e problemas relacionados a comportamento, e disturbios do sono.