O que é um DESENVOLVEDOR FULL-STACK? E o que ganha com isso?

Tempo de Leitura: 4 Minutos

Basicamente um Desenvolvedor FullStack seria um profissional que sabe sobre todas as etapas e partes do desenvolvimento de um sistema, conseguindo implementa-lo sozinho do inicio ao fim, seja no projeto, no banco de dados, na configuração dos servidores, no dimensionamento do hardware e na escolha das tecnologias. Porém, vamos valar mais um pouco pois nem tudo são flores.

O lado Bom do FullStack

Uma das qualidades de ser um FULLSTACK é justamente ter habilidade em uma série de tarefas diferentes que são oriundas do desenvolvimento de um sistema, por exemplo, espera-se que um profissional deste tenha conhecimento e consiga implementar um projeto inteiro sozinho, desde a ideia inicial, passando pela seleção das tecnologias envolvidas, configuração do ambiente de desenvolvimento e de implementação, do banco de dados, da interface seja ela web ou outra, e ainda administrar esse sistema depois que estiver em produção.

Ou seja, para o profissional é bom, pois ele tem uma série de conhecimentos em áreas diferentes o que lhe confere uma ampla variedade de oportunidades de emprego, e ele pode futuramente se focar em uma dessas áreas e se tornar um especialista.

Para os contratantes, é uma maneira de ter uma equipe enxuta, com um número mínimo de profissionais e que consigam atender toda a demanda de desenvolvimento, fazendo mais de uma atividade em simultâneo ou podendo ser remapeado para um ou outro setor pois ele tem um conhecimento amplo e variado.

Isso se converte em melhores salários para o profissional, e também, uma equipe menor, custa menos para a empresa. Imagina se você paga 3X para um fullstack, sai mais barato que pagar X para 5 profissionais diferentes. Se você só mexe com front-end, você precisa alguém para fazer o back-end e vice-versa; se você sabe programar no back-end mas não tem um conhecimento sólido de banco de dados você precisa dos serviços de um analista de banco de dados também; e se não sabe o suficiente de administração de infra-estrutura de TI (ou, se quiser usar um termo moderno, DevOps) você precisa contratar mais um, viu, fora que se a demanda de um lado aumenta, tem que ter mais pessoas e pode ter um desperdício de tempo de um profissional sub-alocado.

Note que a diferença não é quantitativa, ou seja, não significa que ele faz o trabalho de 5 profissionais, mas qualitativa pois dado um tempo suficiente, um programador full-stack será capaz de desenvolver um sistema inteiro, enquanto os outros tipos de profissional, por definição, só fazem parte dele.

O lado RUIM

Quando falamos em um projeto maior, ou uma equipe de desenvolvimento usar profissionais fullstack não trás grandes benefícios, pois existe a limitação causada pelo próprio ser humano. É melhor contar com vários especialistas, cada qual na sua área de atuação pois eles vão conseguir fazer de forma ótima.

É preciso tomar cuidado para não se tornar um “FAZ TUDO”, que na verdade faz tudo mal feito. O mercado de trabalho vem criando vagas, para um perfil de profissional, que tenha conhecimento em um amplo leque de tecnologias diferentes, porém, deve ficar atento a qualidade do profissional e não a quantidade de conhecimentos.

Gosto muito de analogias, e imagina você, precisando de uma cirurgia cardíaca, e tem disponível dois médicos sendo um recém formado que está na residência com todos os conhecimentos na ponta da linguá, que tem uma ampla variedade de conhecimentos do corpo como um todo, pois ainda não escolheu uma especialidade; e do outro lado um doutor especialista em coração. Pronto, a certeza é que você escolheu o especialista.

O mesmo ocorre com todos os segmentos, seja na administração, finanças, tecnologia, medicina e qualquer outro, porém, é necessário que o mercado tenha profissionais com uma ampla variedade de conhecimento como um “clínico geral”, pois mesmo ele não sendo um especialista ele pode prestar um suporte ou atuar em uma emergência de qualquer um dos setores. Porém, nunca substituirá a experiência de um especialista.

Uma Visão Para NOVOS PROFISSIONAIS

Se você é um novo profissional, pode esperar ter o conhecimento geral, e ir aprofundando naquilo que mais gosta, ou que melhor o mercado absorve, ninguém vai ter todo o conhecimento de todas as áreas assim que inicia sua carreira, conhecimento é algo que se adquire com o tempo e com a experiência.

O mercado de TI atualmente no Brasil é um dos segmentos que passa por maior falta de profissionais qualificados, justamente, pelo problema de não se encontrar profissionais com um bom nível de qualificação, em nenhum dos seus segmentos. Isso em parte é uma consequência da falta de planejamento empresarial em conjunto com universidades e instituições de ensino.

Para superar o problema, especialistas sugerem não apenas uma melhora nos salários, mas também flexibilidade e revisões na cultura corporativa, criando oportunidades de aprendizado, que  são importantes para manter o funcionário engajado, principalmente nas novas tecnologias que vem surgindo.

Uma das tendências do mercado é um aumento na demanda por profissionais com conhecimentos em CLOUD e DevOps que possam administrar e gerenciar, outras áreas de conhecimento que tem muita demanda são Algoritmos, Banco de Dados, Linguagem de Programação para Web, Engenharia de Software, Programação Mobile, Programação para Jogos, Inteligência Artificial.